História

Paranã Tocantins, a história da cidade mãe, pois tudo começou por aqui. Localizada a 350 km da capital Palmas, na região sul do estado do Tocantins,

Paranã Tocantins inicia a sua história no final do século XIX, com a chegada dos jesuítas que formava o aldeamento missionários, subindo o rio Tocantins.

Em 1815, o povoado foi elevado à condição de vila com a denominação de São João da Palma.

Através da lei provincial de 05 de outubro de 1857, conquistou a categoria de cidade.

121

Paranã Tocantins foi marco embrionário na luta pela emancipação do estado. A emancipação do estado aconteceu através de Joaquim Teotônio Segurado que se rebelou na época, contra a política de Goiás e aqui se formou o governo do norte.

A topografia plana permitiu a implantação de um núcleo urbano bem distribuído. O traçado da cidade foi simetricamente construído no vértice dos rios Paranã e Palma, formadores da bacia do Tocantins.

As ruas do centro histórico são largas com alinhamento uniforme, sem curvas e sem becos, conforme a determinação do autor do plano urbanístico, o ouvidor Joaquim Teotônio Segurado.

As casas do núcleo histórico são na sua maioria construção do século XlX.

122

Paranã Tocantins Idealizada Por Joaquim Teotônio Segurado

A parte antiga da cidade vem de uma época de um traçado deixado pelo Teotônio Segurado, depois de um problema que teve com a extinção da população por ação dos Avás-canoeiros.

A arquitetura é bem traçada, porque o fundador era ligado a Portugal, então foi de lá que ele trouxe a ideia.

O traçado arquitetônico em que outros não têm, encontramos o casaríos, casas emendadas, mas não tem o traçado e nem o espaço de avenida que tem Paranã e, se sabe que isso é atribuído a Teotônio Segurado.

Os casarões construídos no estilo colonial são de impressionante resistência, a casa que pertencia ao coronel Evaristo Bezerra, a primeira edificada na cidade é uma das que conserva as formas originais da segunda metade do século XlX.

As paredes são largas, feitas de adobe com alicerce de pedra, parte do casarão conserva o piso de madeira, material comum na época do qual também é feito as portas e janelas.

O adobe era fabricado pelos oleiros da época, com barro, pedaços de caco de telha, capim seco e estrume de gado para dar mais resistência, os tijolos eram grandes e de boa qualidade.

1233

Os casarões mais imponentes estão distribuídos em toda área do centro histórico. Estas construções estão principalmente nas ruas Benjamim Constant e Rui Barbosa, a maioria conserva as paredes originais e o teto em pau roliço, coberto com telha coloniais produzidos na própria região.

Nas ruas do núcleo antigo, que foram caprichosamente planejadas, as casas geminadas compõe uma agradável paisagem.

A madeira era tirada com ferramentas semelhante ao nosso serrote, a madeira usada foi a aroeira, trabalhada nas portas, janelas, batentes e portais.

O madeirame do telhado, as linhas, os cabos, que estão cobertos com telhas coloniais e o chão batido. Os casarões de Paranã Tocantins são testemunhas do apogeu da cidade, comoempório comercial do antigo norte goiano, esse patrimônio foi edificado ao longo de várias gerações e abriga até hoje as famílias dos primeiros proprietários.

A uniformidade e beleza das casas destacam a importância do conjunto como acervo arquitetônico. Na parte antiga da cidade se pode observar ainda raízes da época ainda do Brasil colônia, uma vez que a cidade em si tem mais de 200 anos.

Paranã Tocantins Igreja Matriz
igreja

Exemplares arquitetônicos importantes para memória da cidade, como prédio da cadeia velha construída em 1904, fazem parte do núcleo urbano original.

A conservação do patrimônio arquitetônico de Paranã Tocantins depende de ações permanentes de toda comunidade.

O estado do Tocantins já tem os seus primeiros exemplos de investimento em preservação do acervo cultural, elemento de extrema importância para que se compreenda a realidade com base na observação do passado.

Paranã Tocantins uma das cidades mais antiga do estado do Tocantins, neste ano fará 158 anos de emancipação.

Foi elevada a categoria de cidade em 05 de outubro de 1857 e, 131 anos depois foi criado o estado do Tocantins, coincidentemente no mesmo 05 de outubro de 1988. Cidade privilegiada pelas águas, situada nas confluências dos rios Paranã e Palma que recebe o nome de pontal, terra amada pelos seus filhos, amada e descrita em livros. Filhos de Paranã nunca cansa de homenagear a cidade.

Ao visitar o Tocantins de deixe de conhecer esta cidade que faz parte do desbravamento do cerrado Brasileiro.O Turismo No Tocantins leva até você um acervo arquitetônico a ser desvendado pelos estudantes de arquitetura e pelos estudiosos da formação do núcleos urbanos.

As primeiras entradas na província de Paranã ocorreram no período de 1740 a 1770, por garimpeiros em busca de ouro, dando inicio, assim, a formação do arraial que recebeu o nome de Palma, por situar-se na confluência dos rios Paranã e Palmas no extremo sul de Tocantins.

Em virtude de sua boa localização, e ao servir de porto fluvial, em pouco tempo o arraial tornou-se o mais importante empório comercial do médio norte goiano, realizando intenso intercâmbio comercial como Belém do Pará.

Em 1815, o povoado foi elevado à vila, com denominação de São João da Palma, sede da Comarca do Norte. Na condição de vila, São João da Palma passou a reivindicar sua elevação à categoria de cidade, o que veio a conseguir no dia 5 de outubro 1857.

Existem alguns fatos que tornam a historia de Paranã semelhante a historia de Tocantins. O principal é o fato de esta cidade ter sido a Comarca do Norte, em momentos embrionários da própria luta pela emancipação do Estado.

A data de 5 de outubro, que marca a elevação de Paranã à categoria de cidade (1857), é também a data de criação do estado do Tocantins (5 de outubro de 1988). O nome da capital definitiva do estado resgata o nome da antiga Vila de Palma, cujos habitantes, inclusive, são conhecidos como palmenses, tal como os moradores da atual capital.

A atividade econômica que mais impulsionou historicamente a cidade foi o comércio fluvial pelo rio Tocantins. Através de barcos com capacidade de transporte de 15 toneladas. Essas embarcações eram impulsionadas por forças humanas.

Após a desativação do comércio fluvial, restou a Paranã a criação de gado como principal atividade economia.

Formação Administrativa

Elevado á categoria de vila com a denominação de São João da Palma, por Alvará de 25-02-1814. Sede na antiga povoação de Barra de Palma. Instalada em 17-07-1815.

Distrito criado com a denominação de São João da Palma, pela Lei Provincial nº 14, de 23-07-1835.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Palma, pela Lei Provincial ou Resolução Provincial nº 3, de 05-10-1857.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 3 distritos: Palma, Jatobá e São Joaquim.

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 1233, de 21-10-1938, foram extintos os distritos de Jatobá e São Joaquim, sendo seus territórios anexados ao distrito sede do município de Palma.

Pelo Decreto-Lei Estadual nº 8305, de 31-12-1943, o município de Palma tomou a denominação de Paranã.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município de Paranã (ex-Palma) é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alterações toponímicas municipais

São João da Palma para Palma, alterado pela lei provincial ou resolução provincial nº 3, de 05-10-1857.

Palma para Paranã, alterado pelo Decreto-Lei Estadual nº 8305, de 31-12-1943.

Fonte: http://to.gov.br

Veja o video https: https://www.youtube.com/watch?v=KpEIvn25Sx0


Acessibilidade
Acessibilidade